A Tribuna Ba/ Por unanimidade, Arthur do Val tem o mandato cassado e está inelegível por oito anos

Arthur do Val tem mandato cassado

A cassação foi aprovada por todos os 73 deputados que participaram da sessão: 73 votos para sim, 0 para não e 0, abstenção. Para ter o mandato cassado, era preciso 48 votos entre os 94 deputados estaduais da Alesp. A aprovação ocorreu em sessão muito curta para os padrões do Poder Legislativo paulista.

Ao falar no início da sessão, o advogado de Arthur do Val, Paulo Henrique Franco Bueno, voltou a comparar o caso do parlamentar com a situação que envolveu o também deputado Fernando Cury, acusado de assédio contra a também deputada Isa Penna. Cury foi suspenso pela Alesp por 180 dias.

O advogado defendeu ainda o uso ilegal de provas e inadmissibilidade do uso dos áudios privados de Arthur do Val no processo, pois foram vazados sem a autorização do parlamentar. O defensor ainda pontuou que não houve perícia nas evidências.

Arthur do Val renunciou ao cargo em abril, após o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aprovar, por unanimidade, o processo que poderia gerar a cassação do seu mandato.

Ele era alvo no colegiado de 21 representações pedindo a cassação por quebra de decoro parlamentar, após dizer frases sexistas contra mulheres refugiadas ucranianas. Por meio de nota, do Val disse:

“Sem o mandato, os deputados agora serão obrigados a discutir apenas os meus direitos políticos e vai ficar claro que eles querem na verdade é me tirar das próximas eleições. Estou sendo vítima de um processo injusto e arbitrário dentro da Alesp. O amplo direito a defesa foi ignorado pelos deputados, que promovem uma perseguição política. Vou renunciar ao meu mandato em respeito aos 500 mil paulistas que votaram em mim, para que não vejam seus votos sendo subjugados pela Assembleia. Mas não pensem que desisti, continuarei lutando pelos meus direitos.”

O caso

Em áudios trocados com amigos em um grupo de conversas pela internet, Arthur do Val afirmou que as mulheres ucranianas são “fáceis, porque são pobres”, dentre outras fases consideradas machistas e misóginas.

A fala se deu durante uma viagem do então deputado a Ucrânia, onde, segundo o próprio, estava auxiliando no combate a guerra entre Ucrânia e Rússia.

*Via G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

A Tribuna Ba/ Jair Bolsonaro processa Alexandre de Moraes no STF por ‘abuso de autoridade’

qua maio 18 , 2022
Presidente afirmou que inquérito das fake news é injustificado e que ministro não permite acesso da defesa aos auto O presidente da República Jair Bolsonaro (PL) ajuizou uma notícia-crime no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro Alexandre de Moraes, por um suposto “abuso de autoridade”. O ministro Dias Toffoli foi sorteado o relator da ação. O presidente diz que processou Moraes […]

CBN AO VIVO

RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter