A Tribuna Bahia/ Teve manifesto contra e a favor de Moro e jornalista da Record agredido por radicais bolsonaristas

Radical Bolsonarista preso por atacar cinegrafista da Record confundindo com a Globo

Clima tenso em frente à PF em Curitiba, Moro entrou pelos fundos

Ana Cláudia Freire

Manifestantes pró e contra o ex-ministro, Sergio Moro, dividem o mesmo espaço em frente à sede da PF (Polícia Federal), em Curitiba e deixam o clima tenso no local.

Desde as primeiras horas da manhã deste sábado (2), apoiadores do ex-ministro e apoiadores do presidente  Jair Bolsonaro, manifestam com carros de som, bandeiras e palavras de ordem.
O local teve reforço na segurança pela PMPR (Polícia Militar do Paraná) e o clima é tenso entre os manifestantes.

CINEGRAFISTA É AGREDIDO POR MANIFESTANTE

Há  muitos jornalistas no local aguardando a chegada da ex-ministro. Um dos manifestantes (não se sabe se pró ou contra Moro) chegou a agredir um cinegrafista da RIC TV (afiliada da Record no Paraná).

O cinegrafista Robson Silva, da RICTV, explica que sem o cordão de isolamento o manifestante o agrediu achando que era funcionário da TV Globo. “O cara veio pra cima falando que eu era da Globo tal, Globo lixo, acho que ele achou que estava ao vivo, mas não estava sabe. Aí ele veio pra cima pra derrubar a câmera, tentou empurrar a câmera, eu segurei, daí a polícia chegou e tirou ele daqui, porque não tinha cordão de isolamento, sabe?”, desabafou o cinegrafista.

depoimento Moro sede PF agressão cinegrafista
Geraldo Bubniak/AGB – Manifestante agride cinegrafista e é detido pela PM

GRUPO RIC ENVIA NOTA DE REPÚDIO

O Grupo RIC detentor da RIC Record TV repudia a agressão sofrida pelo repórter cinematográfico da emissora, Robson Silva, neste sábado (02), durante a cobertura na rua do depoimento do Sérgio Moro, em Curitiba (PR).

O cinegrafista foi agredido de forma gratuita ao estar apenas cumprindo o seu papel profissional que é de registrar as movimentações na rua em frente a sede da Polícia Federal.

O Grupo RIC e todas as suas empresas de comunicação condenam todo tipo de violência, em especial, contra profissionais da imprensa no exercício da profissão. Atos como este são fruto da intolerância e desconhecimento do real papel da imprensa.

Qualquer tentativa de impedir o trabalho da imprensa é um ataque ao direito da sociedade de acesso às informações de interesse público.

O Grupo RIC pede às autoridades locais a apuração rigorosa dos fatos e a punição do responsável.

Depois da confusão a PM fez o isolamento dos manifestantes no local.

manifestação contra moro
Geraldo Bubniak/AGB

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, está sendo aguardo na sede da  PF (Polícia Federal), em Curitiba, para prestar depoimento no inquérito que investiga as acusações feitas por Moro, contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Cobertura;Paranáportal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

A Tribuna Bahia/ PGR pede ao Ministério Público que agressão a jornalistas em ato antidemocrático seja investigada

seg maio 4 , 2020
Protesto foi feito por apoiadores do presidente; Bolsonaro, do alto da rampa do Palácio do Planalto, fez uma transmissão ao vivo do evento em suas redes sociais Foto : Reprodução/Facebook Por Luciana Freire no dia 04 de Maio de 2020 ⋅ 16:00 O procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu que o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) investigue as agressões […]
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter