A Tribuna Bahia/ Bolsonaro luta pela sobrevivência e abre caminho a militares, diz NYT

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília -

O presidente Jair Bolsonaro está lutando pela sua sobrevivência política após ser “golpeado por uma torrente de investigações sobre ele e sua família” e se tornou “dependente” de militares mais experientes, dando-lhes o maior poder desde a ditadura militar. É o que diz uma reportagem publicada hoje no jornal americano “The New York Times”. Além das investigações contra Bolsonaro envolvendo denúncias do seu ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, o jornal também cita “queda livre” da economia e “críticas ao manejo descuidado de uma das epidemias de coronavírus que mais crescem no mundo.

“Agora, com os pedidos de intensificação do impeachment, ele [Bolsonaro] está sendo escorado por um grupo cada vez menor de líderes que estão ganhando poder à medida que seus problemas se multiplicam”, diz o texto. E completa: “Bolsonaro tornou-se cada vez mais dependente de um quadro de militares mais antigos, confiando a eles o maior poder desde que a ditadura militar terminou na década de 1980”. A reportagem cita o episódio no qual o presidente respondeu “E daí?” para o questionamento sobre o número de mortos por coronavírus no país, que no dia passaram dos 5.000: “O Brasil está rapidamente se tornando um foco importante global e esta semana superou o número de mortes relatada… -O Brasil está rapidamente se tornando um foco importante global e esta semana superou o número de mortes relatadas pela China. No entanto, o presidente continua resistindo aos pedidos de quarentenas mais rigorosas e demonstra pouca empatia pelos mais de 5.000 brasileiros que morreram, provocando críticas generalizadas de que ele tem sido imprudente e insensível”.

A matéria destaca que Bolsonaro vinha enfrentando turbulências políticas desde que Sergio Moro pediu demissão do cargo. “O membro mais popular do gabinete”, diz. E também cita os atritos com o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que levou à sua demissão do cargo. O jornal questiona a preocupação dos militares com a sua reputação frente aos últimos atos do presidente. A cientista política Amy Erica Smith, entrevistada pelo jornal, diz que a crise política pode fazer com que os militares decidam que “liderança civil não é eficaz” e assumam o poder. “Analistas políticos dizem que uma aquisição militar convencional é impensável no Brasil de hoje, dada a força do Congresso, dos tribunais, da sociedade civil e da imprensa. Smith disse, porém, que os generais podem transformar Bolsonaro em um líder em figura de proa ou apoiar tacitamente os esforços para impedi-lo, o que deixaria Mourão no controle”, diz a publicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Next Post

Cinegrafista é atingido por bomba durante manifestação em Maringá/A Tribuna Bahia

dom maio 3 , 2020
Um cinegrafista da TV Maringá, emissora da TV Band em Maringá, foi atingido por uma bomba enquanto cobria uma manifestação de empresários pela reabertura do comércio na cidade. Cristiano Pietrangelo e o repórter Diogo Scamparini estavam no local, quando três pessoas dentro de um Toyota Corolla arremessaram o artefato explosivo na direção dos jornalistas. 60 SHARES Share on Facebook Tweet […]
RSS
Follow by Email
Facebook
Twitter