A Tribuna: Corpo de João Gilberto é enterrado em cerimônia rápida no Rio

Em mensagem a Imprensa o Presidente Bolsonaro se limitou a dizer que ”Ele era um homem conhecido”

 
Edmilson Ciriacco/ Pesquisa
Antes, houve velório aberto ao público. Viúva pede que brasileiros escutem mais João

O corpo do cantor e compositor baiano João Gilberto foi sepultado na tarde desta segunda-feira (8), no Cemitério Parque da Colina, em Niterói, no Rio de Janeiro. A família do artista tem um jazigo lá. Antes, o corpo foi velado no Theatro Municipal, na capital, com presença de fãs. João morreu no sábado, aos 88 anos, em casa. Nos últimos anos, ele estava com a saúde fragilizada, mas a causa exata da morte não foi divulgada. 

O cantor foi enterrado rapidamente, em cerimônia de 10 minutos, seguida de aplausos dos amigos e familiares. Ele foi sepultado ao lado da irmã, Walcy Oliveira, que morreu em 2012. 

A viúva do músico, a moçambicana Maria do Céus Harris, 55 anos, chegou para o velório por volta das 9h30. Ela ficou o tempo inteiro ao lado do caixão e pediu que os brasileiros escutem mais João Gilberto. A filha Bebel Gilberto chegou pouco antes de meio dia, acompanhada de amigos. A filha caçula, Luisa, compareceu levada pela mãe, a jornalista Claudia Faissol. O primogênito, João Marcelo, não compareceu à cerimônia. Ele está em processo de renovação de documentos nos EUA, onde mora, e não pode viajar agora, de acordo com o advogado. A partir das 10h, a cerimônia foi aberta para o público. O caixão estava aberto e tocava no teatro “Chega de Saudade”, maior sucesso da carreira de João Gilberto.

Houve uma cerimônia religiosa de meia hora, aberta por músicos e cantores da orquestra do teatro, com algumas canções como Bachianas Brasileiras n.4.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *